Health / Wellness Coaching

Um Coach em Saúde facilita um relacionamento de parceira e um processo de mudança que permite aos clientes a alteração de mindset e o desenvolviemnto de comportamentos sustentados para melhoria da saúde e Bem+estar, para além daquilo que têm sido capazes sozinhosMargaret More.

O Wellness Coaching vai para além do exercício e lida com o cliente como um todo. A relação profissional e “pessoal” baseada em não-julgamento entre Coach e cliente, guia e encoraja no sentido de ajudar e suportar a mudança do/no cliente. O Coach facilita a mudança ajudando o cliente a focar-se num programa adaptado, baseado nas suas necessidades, valores, visão e objectivos. – Littlejohn, ( Careers in Fitness and PT)

Porque precisamos de Health/Wellness Coaching?

O mercado da saúde e do bem+estar mudou e com ele as exigências e as dificuldades dos seus consumidores. Enquanto processo activo, facilitador de crescimento (interior), difere dos serviços comuns baseados no modelo médico de prescrição e aconselhamento. Foca-se no processo de pensamento que promove a mudança e não na prescrição de exercício em si. A abordagem do especialista em saúde é vital quando enfrentamos uma crise de saúde urgente ou considerando uma cirurgia por exemplo. Mas não é a ideal quando desejamos emagrecer, reduzir os níveis de stress, ou desenvolver uma mentalidade positiva e confiança em nós próprios. A construção de confiança necessária á mudança ou à implementação de um Estilo de Vida Saudável requer novos padrões de pensamento, ações e relacionamentos presentes num processo de Coaching.

7 Razões que podem motivar uma relação de Coaching

  1. O facto da oferta de produtos e serviços para emagrecer, deixar de fumar, gerir o stress, ser fit ser cada vez mais alargada. O consumidor é confundido por entre ‘soluções rápidas/milagrosas’ que não duram e que prejudicam a sua autoeficácia;
  2. As exigências do quotidiano são cada vez maiores o que dificulta a manutenção de um plano regular de treino, de alimentação, de gestão de stress etc.;
  3. Existem diversas orientações “padronizadas” sobre produtos e serviços que tornam difícil criar uma fórmula pessoal (o programa de perda de peso xpto, a dieta 10, o creme anticelulítico, o retiro zen, e por aí fora)
  4. A inevitabilidade dos obstáculos para a mudança, incluindo a confusão, a resistência e a ambivalência (“qual o melhor dia?”, “mas e os horários?”, “e quando não me apetecer?”);
  5. Os históricos de fracasso pessoais, repetidos ou não, que travam ou impedem a mudança. A crença de que “nunca consegui perder estes kilos” e portanto a falta de fé nas possibilidades e no futuro.
  6. A falta de propósito e de significado que motivem mudanças profundas e duradouras; encontrar um paraquê? para conectar o que fazemos com o que somos e vice-versa.
  7. A ecologia da mudança é fulcral e deve ser organizada em torno das circunstâncias e capacidades do cliente. Muitas vezes a prescrição do treino é irreal o que torna o processo constrangedor e reduz as probabilidades de sucesso.
  8. Taxa de sucesso (em processos de Coaching) entre os 60% e 75%.

Ideal para quem?

  • tem baixa autoeficácia – pessoas que não se sentem capazes de mudar
  • tem fraca iniciativa e próatividade
  • tem presença de 3 ou mais fatores de risco ( sedentarismo, hipertensão, tabagismo, stress, obesidade, diabetes, dislipidemia são só alguns)
  • Presença de 1 fator de risco severo
  • Mais de 30 anos
  • BMI acima de 30 – este indicador corresponde à relação entre peso e altura
  • Fumadores
  • Níveis de stress elevados
  • Individuos com doença crónica diagnosticada

 

 

Anúncios